Azul planeja 3 destinos inéditos ainda em 2021

Azul planeja operar em 3 destinos inéditos a partir do segundo semestre de 2021: São Gabriel da Cachoeira (AM), Ponta Porã (MS) e Correia Pinto (SC) podem receber voos da companhia caso aeroportos passem por melhorias na infraestrutura

foto Shutterstock





Amazonas, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina poderão ter novos aeroportos ligados à malha aérea nacional e internacional da Azul. A partir do segundo semestre deste ano, a empresa, maior companhia aérea do Brasil em número de voos diários e destinos atendidos, planeja atender três novas cidades no país: São Gabriel da Cachoeira (AM, foto), Ponta Porã (MS) e Correia Pinto (SC). A Azul espera iniciar as operações na cidade amazonense em 3 de agosto e planeja pousar pela primeira vez em Ponta Porã e Correia Pinto no dia 8 de setembro de 2021.

No entanto, o início das vendas para os novos voos e a confirmação das datas planejadas dependerão da execução e término de obras de melhoria na infraestrutura aeroportuária das três cidades, além da conclusão de negociações de acordos de redução de ICMS para combustíveis de aviação de modo a incentivar a operação nos estados. Para São Gabriel, a Azul tem a expectativa de voar três vezes por semana, conectando a cidade do interior amazônico à capital. Os voos serão cumpridos com as aeronaves brasileiras da Embraer E195, que comportam 118 Clientes. Ponta Porã, que será o sexto destino atendido no Mato Grosso do Sul pela companhia, contará com uma ligação diária para o principal centro de conexões da Azul no país: o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), em aeronave a ser definida após a certificação do aeroporto junto à ANAC. Já Correia Pinto, no estado catarinense, substituirá as operações em Lajes e atenderá a região de “Campos de Lajes”, com mais de 300 mil habitantes. Os voos também serão diários e com destino à Campinas.

“A Azul é a maior companhia aérea do país em volume de voos diários e destinos atendidos e o anúncio do planejamento de três novas e inéditas bases para agosto e setembro reforça o investimento da empresa em conectar todas as regiões brasileiras. Cada nova base incluída fortalece nossa malha e, ao mesmo tempo, possibilita o desenvolvimento econômico da região que será atendida. Em um ano de incertezas, nós reforçamos o investimento da empresa no Brasil, acreditando no potencial do país e tendo a expectativa de que, com a vacinação em massa, poderemos ter um segundo semestre de recuperação para o setor” pontua Vitor Silva, gerente de planejamento de malha da Azul.





LEIA TAMBÉM: Azul reciclará 100% de embalagens de snacks