Spicy Fish, a sensação asiática no Rio

Localizado em Ipanema, o Spicy Fish conquistou os cariocas com ambiente descolado e menu que funde as culinárias japonesa e coreana 

por Bruno Segadilha | fotos Rodrigo Azevedo e Fabio Seixo





As filas na porta já indicam que algo de muito bom está rolando por ali. Localizado em um dos quarteirões mais tradicionais do Rio de Janeiro – a esquina das ruas Maria Quitéria e Barão da Torre – o Spicy Fish tem movimentado a cena gastronômica carioca com um cardápio criativo, que une as culinárias japonesas e coreana. No comando da cozinha, está o chef Emerson Kim, que já teve passagens pelas unidades do restaurante Nobu de Mikonos, na Grécia, e Munique, na Alemanha. “Além de chef, ele é pescador e entende como poucos da arte de armazenar peixes e prepará-los. O resultado é uma casa já muito querida, porque entregamos uma experiência de qualidade”, conta Leonardo Rezende, um dos proprietários e sócio do grupo 14zero3, dono de vários empreendimentos do ramo no Rio. 













Desde 2016, Leonardo e seus sócios abriram uma série de endereços, como os italianos Pici e Posì, o grego Oia e o francês L’Atelier Mimolette. A ideia do Spicy Fish surgiu durante uma viagem de Leonardo a Bali, quando ele percebeu que o público carioca sentia falta de restaurantes asiáticos com uma culinária sofisticada, mas sem afetação. “A casa nasceu da contemplação de um inesquecível pôr do sol, quando pensei em inaugurar algo diferente de tudo que se tinha visto no Rio. Queria recriar uma Ásia tropical, uma casa elegante. Abrimos em agosto de 2021, depois de um ano de pesquisas”, diz. 

O restauranteur conta que um dos desafios foi criar um ambiente genuinamente asiático, que fosse ao mesmo tempo elegante e acolhedor. Para isso, ele e a sócia, Eduarda Peralva Dupin, contrataram a consultora japonesa em hospitalidade Yasmin Yonashiro, que cuidou de cada detalhe da decoração. O terraço, por exemplo, tem vasos e ombrelones feitos à mão em Bali e o teto e as paredes dos salões são cobertos de plantas, dando ao lugar uma atmosfera tropical. As louças foram criadas pelos ceramistas Hideko Honma e Naoko Nagahama para servirem as delícias que saem das mãos de Emerson Kim. 













Para começar, prove o Spicy Hoisin Edamame. A soja verde ganha um sabor todo especial com o molho hoisin, espécie de barbecue oriental levemente agridoce e picante. Outra boa sugestão é o Karashi no Sumiso, que traz fatias de salmão selado e servido sobre um molho adocicado de missô com mostarda japonesa, e o Hot Stone, uma das grandes sensações da casa. Trata-se de uma entrada com 50 gramas de carne de wagyu importada da cidade japonesa de Kagoshima, que chega à mesa ao lado de uma pedra fumegante, onde os clientes grelham na hora as fatias que derretem na boca. 

Entre os principais, as estrelas são a seleção de sashimis do chef com ovas de salmão e o Spicy Pork Yaki Noodles, que combina barriga de porco cozida em baixa temperatura com macarrão futomen, pimenta-de-sichuan, legumes e ovo perfeito. Não deixe de provar também o Bulgogi, um filé grelhado, temperado com tutano, servido com molho gotchujang e gohan. As opções de sobremesa não ficam atrás e fecham a refeição de maneira grandiosa, a exemplo do excelente choux cream, de massa aerada com crocante de canela e creme de banana regado com calda de doce de leite. Delícias que mostram que nunca um pôr do sol em Bali valeu tanto a pena. 

Spicy Fish 213490 4335 / @spicyfish.af





LEIA TAMBÉM: A cozinha sem afetação do Escama, no Rio