Passeios em São Miguel do Gostoso

Praia de Tourinhos

Praias quase intocadas, águas cristalinas, sol brilhando 300 dias por ano e uma inequívoca vocação para a simpatia. Esta é a definição de São Miguel do Gostoso, um dos destinos mais badalados do Rio Grande do Norte, onde você pode viver dias de tranquilidade e noites de agitação

por Junior Ferraro | fotos Gui Gomes





Um dos mais badalados destinos do Rio Grande do Norte fica onde o vento faz a curva. Sim, ali mesmo, na pontinha do Brasil, está São Miguel do Gostoso, a 130 km de Natal, capital do Rio Grande do Norte, que recebe voos da Azul a partir de diversas cidades brasileiras. A pequena cidade potiguar tem atraído cada vez mais visitantes com suas praias quase intocadas, de areias branquinhas e mar cristalino, um sol que brilha 300 dias por ano e sua rica gastronomia. A esse combo “férias perfeitas no Nordeste” somam-se os fortes ventos, que, além de refrescar o calorão, criam as condições ideais para a prática de esportes como kitesurfe, e a incrível simpatia dos “gostosenses”. Não é à toa que, de alguns anos para cá, São Miguel do Gostoso vem se tornando um dos mais procurados destinos para se passar o Réveillon, com festas exclusivas que duram dias.

Gostoso “nasceu” há 138 anos, por obra do Amor Divino. Literalmente. Um missionário chamado frei João do Amor Divino deu início ao vilarejo em 29 de setembro de 1844, quando ergueu um cruzeiro e rezou uma missa na região hoje conhecida como Maceió, bem no dia de São Miguel Arcanjo – e por isso a vila ficou conhecida como São Miguel. O “Gostoso” veio depois. Reza a lenda que seu Manuel, um querido morador do povoado, contava muitas piadas e terminava sempre com uma gostosa gargalhada. O apelido pegou e acabou virando o nome informal da região. A vila só se tornou um município em 1993, quando foi desmembrada do vizinho, Touros, e passou a se chamar São Miguel de Touros. A população, porém, jamais gostou deste nome. Após um plebiscito em 2000, a cidade tornou-se oficialmente São Miguel do Gostoso, para a alegria dos moradores e dos turistas.





Passeio gostoso

Nome mais do que merecido. Afinal, a alegria, a simpatia e a leveza são marcas do destino. Um dos melhores modos de conhecer a região é com um passeio de UTV (Utility Task Vehicle), um carrinho robusto e ágil, que sobre e desce montes e dunas com uma facilidade espantosa – como os tours de UTV da Windcab . A ideia é partir do centro da cidade em direção ao Leste, passando primeiro pelas praias de Cardeiro e Ponta de Santo Cristo, onde os ventos têm a intensidade ideal para a prática de windsurfe e kite. Seguindo adiante há as praias da Xepa e de Maceió, quase sempre desertas, onde quadriciclos, bugues e UTVs se cruzam na longa faixa de areia que se estende por até 200 metros até chegar ao mar. 

Siga até a praia de Tourinhos, considerada a mais bonita da região, a 8 km do Centro da cidade. A maior parte da praia é bem tranquila, quase deserta, com uma longa faixa de areia até o mar e impressionantes formações rochosas. Uma delas acabou virando uma atração à parte, o Suspiro da Baleia. Trata-se de uma fenda na superfície rochosa sobre o mar que guarda uma surpresa para os visitantes: conforme as ondas avançam ali, uma parte da água vai para baixo da rocha e, no retorno, forma um jato forte, como um gêiser marinho, que lembra o suspiro dos imensos cetáceos. Perfeito para um vídeo ou boomerang divertido. O tour termina na Praia do Marco, onde, segundo os potiguares, a esquadra de Pedro Álvares Cabral teria aportado pela primeira vez neste continente – e depois seguido viagem até Porto Seguro. Acreditando ou não nessa versão, aproveite a ocasião para tirar uma selfie ao lado da réplica do monumento que atestava a posse de Portugal há mais de 500 anos.













Relax gostoso

Depois da aventura nas praias e estradas, a pedida é almoçar e passar o resto da tarde no Nauan, beach club pé na areia aberto há dois meses na Praia do Reduto. O convidativo espaço é rodeado de bangalôs com vista do mar, tendas e espreguiçadeiras à beira da piscina, restaurante coberto e  banheiros equipados com chuveiros. O Nauan tem ótimas opções de vinhos ou drinques feito o bar no meio da piscina, como a generosa caipirinha de tangerina, gengibre e espuma de pitaya. Além disso, o clube tem estrutura para realizar eventos, como pocket shows, festas e casamentos, com um pequeno palco para DJ ou bandas ao vivo. Da cozinha saem delícias como o tartare com frutos do mar, banana-da-terra e vinagrete de tangerina e abacaxi; o polvo na brasa e o torteline de lagosta com molho bisque. Guarde espaço para a deliciosa torta de chocolate meio amargo com recheio de frutas amarelas.





LEIA TAMBÉM: Punta del Este: o que fazer, qual a melhor época e muito mais





Perto do fim da tarde, há um programa obrigatório em São Miguel do Gostoso: assistir ao pôr do sol na Praia de Tourinhos. Especialmente na região onde se forma uma enseada, com falésias cercando a faixa de areias, onde estão diversos quiosques e barracas. É o ponto perfeito para observar o sol se pondo, mudando as cores do céu e das águas a cada minuto. A dica é assistir a esse espetáculo da natureza no Borabora Tourinhos, beach club com serviço de bar e restaurante, cadeiras e cabanas na praia, que todo fim de tarde acende fogueiras na areia, criando um clima exótico na hora do pôr do sol. Aprecie o momento tomando o gim-tônica de cajá da casa ou uma cerveja bem gelada, antes de voltar para a cidade.

Gostoso tem uma oferta diversificada de hotéis e pousadas. Uma delas é a Awara, a 15 minutos a pé da Rua da Xepa, onde se concentra a agitação gostosense. São dez bangalôs, todos com varanda privativa e deque molhado, com acesso à uma piscina de 900 m2 ao redor do jardim ornamental. Na ilha central há um bar onde é servido o caprichado café da manhã – não deixe de provar o cuscuz com carne de sol desfiada, com ovo estalado. Do outro lado da rua, fica a Villa Boa Vista, a primeira pousada do italiano Michele Pagnotti, um dos sócios da Awara. A pegada aqui é a imersão na natureza. As suítes ficam em bangalôs de dois andares, cobertos por grandes telhados de piaçava, todos de frente para a lagoa do Cardeiro, em meio a um coqueiral e um jardim tropical, onde está a piscina.













Mergulho gostoso

Uma viagem a São Miguel do Gostoso não é completa sem um passeio na cidade vizinha, Touros, a 25 km. Aliás, a primeira atração está na própria estrada que liga os municípios, a RN-221. Ali está , o Marco Zero da BR-101, rodovia que parte de Touros e percorre 4.765 km do litoral brasileiro até a cidade gaúcha de São José do Norte – ou seja, uma estrada que une os Rios Grandes do Norte e do Sul.

Uma das maiores estrelas turísticas de Touros, porém, é a Praia de Perobas, a 45 km de Gostoso. Afinal, ali estão os famosos parrachos, piscinas naturais formadas pelos recifes de corais, a 5 km da costa, que aparecem quando a maré está baixa. O passeio é feito com lanchas, que você pode contratar junto ao receptivo, e dura cerca de duas horas – é importante checar a tábua de marés, para programar sua ida no dia em que está mais baixa, e chegar cedo para aproveitar bem o passeio. Uma vez nos parrachos, aproveite para mergulhar e observar a vida marinha local, tomando sempre cuidado para não pisar nos corais nem deixar resíduos da sua visita. Na volta, você pode almoçar na barraca Miramar, que tem mesas e tendas na praia, bem como chuveiros para quem quiser tirar o sal do mar. Depois de se refrescar com sucos, coquetéis e cerveja bem gelada, invista no menu bem variado, desde pastéis, bolinhos e macaxeira frita, a pratos à base de frutos do mar ou carnes.













Noitada gostosa

Por falar em gastronomia, São Miguel do Gostoso reúne uma das mais variadas e sofisticadas culinárias do litoral potiguar. Além da boa oferta de peixes, frutos do mar e petiscos das barracas e casas mais despojadas, a cidade tem uma destacada cena noturna, com restaurantes charmosos, pratos esmerados e drinques deliciosos, principalmente na região da Rua da Xepa. Numa das esquinas fica a badalada Quintal Pizzaria e o Palmira Restaurante, que dividem um grande espaço, com salões cobertos e áreas ao ar livre, ideais para as noites mornas de Gostoso. No menu do jantar, destacam-se o ceviche de camarão e peixe branco, o medalhão de mignon com risoto de queijos e o hambúrguer com cebola crocante. Também vale conhecer a casa vizinha, o novíssimo Oré, da sommelière Fabiana Dall’Onder, para tomar o melhor dry martini da região. E se quiser mais pizza, prove as redondas da Positano Pizzeria Italiana, bem na frente da pousada Awara.













Já o Sampei, casa do chef italiano Lorenzo Mancini, trabalha apenas com pescados e frutos do mar frescos, dispostos num balcão de vidro, escolhidos na hora pelo cliente e grelhados numa parrilla. O menu, descrito numa lousa atrás, muda conforme o fornecimento de pescados daquele dia. Entre os acompanhamentos destacam-se batatas gratinadas, escalivadas e abóbora caramelizada. No dia que visitamos o restaurante, teve polvo com arroz negro, pargo no azeite e alho, sashimi misto e camarões. O Sampei também tem uma primorosa seleção de vinhos e espumantes, além de drinques autorais. Se procura uma noite mais romântica, vá ao Luz Tranquila, que mescla cozinha contemporânea com toques regionais, como a entrada de tâmaras com camarão, parma, creme de queijo e chutney de manga – e não saia de lá sem provar o polvo à Gallega, com batatas salteadas, pimentões, calabresa e páprica doce. 

Uma das melhores experiências gastronômicas de Gostoso, no entanto, acontece à luz do dia – e exige reserva. Trata-se do Jangadeiro Gastrolar, restaurante pé de areia na Praia de São José que não serve só almoço, mas uma experiência completa. O estabelecimento é a casa do empresário Carlos Ferreira, que abriu o restaurante em homenagem ao pai, Alberto Ferreira. Autor da célebre foto de Pelé dando “bicicleta”, Alberto foi um dos maiores fotógrafos brasileiros, registrando momentos históricos do País, como a construção de Brasília, bem como registros feitos na Europa e nos Estados Unidos.













O Jangadeiro tem apenas 6 mesas e espaço para 32 pessoas, além de uma área á beira da praia com bangalôs para um descanso aprazível entre as etapas do almoço. A experiência começa às 11h, com espumantes e vinhos – são mais de 100 rótulos de 18 países –, seguidos das entradas do menu confiança; ou seja, você só sabe o que vai comer na hora, e muda constantemente. No dia da reportagem, foram bolinhos de feijoada e de feijão-verde com camarão, camarão empanado, molho de laranja com pimenta e molho de coentro. Depois há um intervalo de cerca de uma hora, no qual os clientes relaxam nos bangalôs, tomando vinho e ouvindo a suave trilha sonora da casa, ou tomam um banho de mar. A seguir são servidos os pratos principais e a sobremesa. Depois você pode desfrutar da paisagem até às 16h, aproveitando a brisa do mar e o som da tranquilidade. Quer dia mais… Gostoso? 





Quer conhecer São Miguel do Gostoso? Reserve já suas passagens no site da Azul ou programe uma experiência completa na Azul Viagens.





LEIA TAMBÉM: Cataratas do Iguaçu: conheça esse lugar incrível!