Conheça o melhor de Pirenópolis

Famosa por suas cachoeiras caudalosas e experiências radicais, Pirenópolis, em Goiás, também surpreende com um centro histórico charmoso e uma rica tradição gastronômica Conheça mais desse tesouro do cerrado





por Giovanna Forcioni |  fotos Ariel Martini













A menos de 150 km de Brasília e Goiânia, a Pirenópolis reúne tudo o que boa parte dos turistas procura quando vai para o interior: um centro histórico charmoso, gastronomia regional, cachoeiras caudalosas e uma boa dose de aventura. Por isso, é um dos destinos de ecoturismo mais procurados no País. Selecionamos aqui as melhores atrações para quem quer curtir a natureza desse tesouro do cerrado, bem como os passeios culturais, históricos e gastronômicos do destino.





NATUREZA

O Santuário de Vida Silvestre Vagafogo é para quem quer um pouquinho de tudo em um só lugar e, não à toa, é uma das paradas preferidas dos turistas. Lá dá para fazer trilha, arvorismo, rapel, tirolesa, se arriscar num pêndulo e ainda terminar a experiência provando um brunch preparado a partir de frutas do cerrado e lacticínios produzidos na fazenda.

Se quer ver a região do alto, a dica é encarar a subida até o Pico dos Pirineus, que fica a 20 km do centro. A caminhada não é das mais fáceis, mas o visual compensa, especialmente no fim de tarde: do topo, dá para ter uma panorâmica do sol se pondo entre as cadeias montanhosas do Parque Estadual da Serra dos Pireneus.

Para chegar a algumas das cachoeiras, as grandes atrações de Pirenópolis, é preciso colocar o pé na estrada. A do Rosário, por exemplo, fica a 35 km do Centro, mas surpreende com uma impressionante queda d’água de 42 metros. Uma vez por lá, não deixe de provar os pratos regionais, como a galinha caipira e o arroz com pequi, servidos na propriedade.

Na Fazenda Bonsucesso, mais próxima do centrinho, as trilhas são fáceis e levam até seis cachoeiras (foto), como a de Santa Maria, a do Lázaro e a do Abade, que têm até faixa de areia para estender a canga e curtir o sol.





LEIA TAMBÉM: O que fazer nas Cavernas do Peruaçu













CULTURA

Para descobrir um pouco mais da história da cidade, não deixe de fazer um city tour pelo Centro Histórico. O casario colonial e as ruas de pedra são a cara de Pirenópolis. Comece o passeio pela Igreja Matriz, para aproveitar a vista privilegiada, e depois siga para as outras ruas, passando por prédios de estilo art déco, como o Cine Pireneus e o antigo Theatro de Pirenópolis.

Os museus, apesar de modestos, não podem ficar de fora da lista. Se tiver de priorizar, vá direto ao Museu do Divino, que funciona na Casa de Câmara, e ao Museu das Cavalhadas. Os dois contam as origens da Festa do Divino, a celebração religiosa mais tradicional da cidade.

Visitar a Fazenda Babilônia é como fazer uma viagem para a Goiás do século 18. Hoje, lá são oferecidos passeios guiados para conhecer a história e as construções da propriedade, como a capela, o engenho e o casarão. Mas o que vale a pena mesmo é provar o café sertanejo que é servido ali, com mais de 40 quitutes típicos, preparados com ingredientes fresquinhos.

Todo o burburinho de Pirenópolis acontece na região da Rua do Lazer. É lá que locais e turistas se juntam para comer, beber e aproveitar o clima descontraído de fim de tarde. As casas em estilo colonial foram repaginadas e hoje são ocupadas por bares, cafés e restaurantes para todos os gostos, com mesinhas e cadeiras espalhadas na calçada.





Quer conhecer a Pirenópolis? Reserve já suas passagens no site da Azul ou programe uma experiência completa na Azul Viagens.