blocos carnavalescos em recife

6 blocos carnavalescos em Recife para pular os 4 dias de folia

Pã rãn rãn rãn rãn rãn rãn… Quem conhece os blocos carnavalescos em Recife, um dos lugares para viajar no Nordeste, sabe que música é essa — e, provavelmente, já até imaginou a famosa sombrinha de frevo. Se esse é o seu caso, certamente deve voltar nos anos seguintes cantando ‘’voltei, Recife. Foi a saudade que me trouxe pelo braço…’’.

Até porque os blocos carnavalescos em Recife são mundialmente famosos, atraindo turistas de diversos lugares. Para começar a explicar a grandiosidade do Carnaval pernambucano, saiba que a capital do estado tem o maior bloco do mundo: O Galo da Madrugada. E quem disse isso foi o Guinness Book, em 1994, após o Galo ter levado mais de 1,5 milhões de pessoas às ruas. 

Agora que ficou claro o quanto os blocos carnavalescos em Recife são boas opções para quem procura animação, continue a leitura deste post. Nele, listamos 6 atrações recifenses para você cair na folia!

1. Galo da Madrugada

”Ei, pessoal! Vem moçada! Carnaval começa no Galo da Madrugada!” O maior bloco do planeta começa no primeiro sábado de Carnaval às 9:00 — conhecido pelos carnavalescos como Sábado de Zé Pereira — e vai até a noite. A concentração é no centro de Recife, no Forte das Cinco Pontas, bairro de São José, e termina na Avenida Guararapes, bairro de Santo Antônio.

Quem participa vê uma multidão de pessoas desfilando ao som de frevo em torno de um galo gigante, considerado patrimônio imaterial de Pernambuco. Inclusive, anualmente, existe uma expectativa quanto à aparência do Galo da Madrugada.

A programação parece agitada demais para você? É possível ter um pouco mais de tranquilidade nos camarotes pagos e posicionados no trajeto do Galo da Madrugada. Os valores variam entre R$ 200,00 e R$ 350,00, podendo oferecer serviço open bar e open food.

2. Bloco da Saudade

Como o próprio nome sugere, o Bloco da Saudade surgiu para reverenciar os Carnavais antigos, existentes na primeira metade do século XX. Além disso, tem o objetivo de homenagear o compositor Edgar Moraes, que morreu com um legado de mais de 300 músicas, com destaque para o frevo.

Uma das principais composições foi a marcha Valores do Passado, que recordava o romantismo musical dos antigos Carnavais. É bem provável que você conheça alguém mais velho que fale sobre a saudade dos blocos carnavalescos de antigamente. Em Recife, essas lembranças podem ser revividas na sede da AABB, no bairro das Graças.

3. Bloco Madeira do Rosarinho

‘’Nós somos madeiras de lei que cupim não rói…’’ — quem nunca ouviu essa marchinha, tem a oportunidade de fazer isso no Bloco Madeira do Rosarinho, um dos mais tradicionais de Recife. O símbolo desse bloco é um escudo que lembra os de clubes de futebol, representado nas cores vermelha, branca e verde, com uma figura mascarada bem no centro.

A sede do bloco fica no bairro do Rosarinho, na rua Salvador de Sá, 64, e tem capacidade para cerca de 1.500 pessoas. Lá você pode entender mais sobre a história da famosa marcha, composta por Capiba, e descobrir como e por que ela surgiu em protesto contra o resultado do concurso de blocos de 1963, ano da composição musical. 

azul blocos carnavalescos em recife (2)

4. Bloco das Flores

Tá afim de mergulhar na cultura popular do Carnaval de rua da capital pernambucana? Então, é preciso participar dos blocos líricos de Recife, como o Bloco das Flores. Fundado em 1920, é o primeiro desse tipo em Pernambuco. 

Além do pioneirismo em trazer a cultura popular do Carnaval de rua, o Bloco das Flores também foi um dos primeiros a contar com a livre participação feminina. Isso mesmo: se hoje existem inúmeras mulheres que desfilam, dançam e se divertem nos blocos, antes não existia lugar para elas. 

5. Bloco Amantes da Glória

Um bloco carnavalesco também pode surgir de um passeio com os amigos da faculdade, sabia? Foi assim que teve início o Bloco Amantes da Glória, que marcava os encontros de estudantes da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) após as aulas. 

Normalmente, os encontros ocorriam do cinema para o bar, até que o bar Stylettus, no bairro Boa Vista — um dos mais tradicionais de Recife —, se tornou point. Então, em 1997, os amigos decidiram criar um bloco de carnaval.

O nome surgiu a partir de um filme espanhol chamado “Ninguém falará de nós quando estivermos mortos”, quando a personagem principal, Glória, encantou os amigos.

Como é comum, há outras versões quanto à origem do nome. O mais importante é que o bloco movimenta o bairro Boa Vista, essencial para quem quer ver o Carnaval da cidade nordestina por outros ângulos. 

Esse já é um bom motivo para você participar do Bloco Amantes da Glória, mas existe outro. Ele tem uma visão romântica de não se tornar comercial, como muitos outros mais tradicionais e conhecidos na cidade — ou seja, sem dinheiro privado ou público, só o povo fazendo a festa.

6. Bloco Os Irresponsáveis

Quer uma sugestão para passar a Quarta-feira de Cinzas? O Bloco Os Irresponsáveis! A explicação do nome, você já pode imaginar: trata-se do último dia carnavalesco — mas, se você for ‘’inimigo do fim’’, vale a pena aproveitar.

Esse bloco é puxado ao ritmo do frevo, onde é possível ver muitos dançando com a famosa sombrinha, tradição do Carnaval recifense. E olhe, mesmo sendo na quarta-feira de cinzas, não espere que tenha menos pessoas ou que falta animação. Por exemplo, em 2018 Os Irresponsáveis reuniu mais de 400 mil pessoas. 

E aí, já decidiu de quais blocos carnavalescos em Recife você participará? Leve em conta os seus gostos musicais, tolerância a multidões e local onde você se hospedou. Até porque, a única certeza ao aproveitar o Carnaval em Recife ou até Olinda, distantes 30 minutos, é que não faltará animação dos foliões.

Gostou de conhecer mais sobre os blocos carnavalescos em Recife? Compartilhe o post nas suas redes sociais e ajude seus amigos indecisos a escolher de qual participar!