Jericoacoara de Leste a Oeste

 Dona do pôr do sol mais famoso do Brasil, de imensas dunas brancas que se movem com a brisa e de um majestoso mar azul, Jericoacoara é uma festa para os olhos e para a mente. Confira um roteiro especial de Leste a Oeste 

fotos Angelo Dal Bó 





Pedra Furada, um dos cartões-postais de Jericoacoara

Mar, sol e vento. Essa tríade tão comum a qualquer praia cearense torna-se suprema em Jericoacoara. Neste pequeno destino litorâneo, o mar é incrivelmente amigável, o sol brilha quase todos os dias do ano e o vento… bem, este é o grande artista que esculpe as dunas, refresca o calor e empina as pipas de kitesurfe no céu azul. Essa é a rotina de Jeri, pequena vila localizada no município de Jijoca de Jericoacoara, a 300 km de Fortaleza, que atrai cerca de 1 milhão de turistas por ano e recebe voos da Azul diretamente dos aeroportos de Viracopos (Campinas) e de Confins (Belo Horizonte). 

Nem sempre foi assim. Até o fim dos anos 1990, Jericoacoara era apenas uma vila de pescadores, com muitas belezas naturais, mas pouca infraestrutura. A eletricidade chegou ao município apenas em 1998 e, com ela, vieram cada vez mais turistas e visitantes que resolveram fincar o pé naquele paraíso e abrir seu negócio. Hoje esse destino tem hotéis de luxo, gastronomia sofisticada, bares agitados e lojas de grife. A pequena cidade, porém, não perdeu sua essência ou seu charme: você ainda passa por uns 20 minutinhos de sacolejo para chegar lá e não é permitida a circulação de carros particulares nas ruas da vila. Além disso, em 2002 foi criado o Parque Nacional de Jericoacoara para proteger os ecossistemas e preservar seus recursos naturais. 

Mas não se preocupe: dá para fazer tudo a pé em Jericoacoara. Ainda mais se você ficar hospedado em um dos hotéis do Centrinho. Como o My Blue Hotel, empreendimento com 80 apartamentos, dividido em vielas brancas e floridas, com uma pegada mediterrânea. Numa ponta do terreno está a recepção, na praça principal do Centro; na outra está o restaurante do hotel, com mesas que se espalham na sombra de mangueiras e tamarindeiros com acesso direto à Praia de Jericoacoara. 

A praia em si é uma das principais atrações de Jeri. O mar azul, com ondas espumantes, pode estar mais geladinho ou até morno, dependendo da época do ano. Ao redor estão os bares, restaurantes e beach clubs da cidade, além da vegetação natural e das dunas. Porém, o fim do dia em Jericoacoara é tão importante quanto as horas de diversão sob o sol do Ceará. A razão? Po sua localização peninsular, é um dos raros locais brasileiros onde se pode ver o sol nascer e se pôr no mar. Não à toa, é o pôr do sol mais famoso do Brasil, uma atração tão incrível que se tornou passeio obrigatório. 





LEIA TAMBÉM: Porto de Galinhas é o destino ideal do verão













Você pode assistir ao fenômeno de três maneiras. Uma delas é na própria Praia de Jericoacoara, onde o astro rei vai “afundando” no oceano como uma bola de fogo, pintando as águas de um laranja intenso. O segundo modo é o mais popular, e realmente imperdível. Trata-se da Duna do Pôr do Sol, uma montanha de areia localizada a Oeste da vila, à beira da faixa litorânea, e acessível a pé. Todo fim de tarde dezenas de pessoas sobem a duna para observar a mudança de cores no céu. 

Existe um terceiro ponto onde o fenômeno também ganha nuances poéticas: a Pedra Furada. O arco de pedra, de cor avermelhada e cinco metros de altura, é um dos mais famosos cartões-postais de Jeri e tem uma posição estratégica para fotos. A dica é: acorde cedinho, antes das 5h da manhã, e caminhe até a região para assistir ao nascer do sol. Além de o lugar estar bem mais vazio, os raios solares refletem na face da pedra, com o mar espumando através dela, garantindo registros instagramáveis. 





De Leste…

Férias em Jericoacoara não devem se limitar apenas à vila principal. Vale reservar no mínimo um dia para os passeios a Leste da cidade e outro para um tour a Oeste. Tanto de um lado quanto do outro você pode montar seu roteiro ou contratar uma agência, como a Eco Viagens Jeri, que organiza tours completos, incluindo passeios de bugue, aluguel de quadriciclos, UTVs, bikes e paradas em pontos turísticos. 













LEIA TAMBÉM: Top 10 destinos para assistir ao pôr do sol





Do lado Leste as atrações são muitas, a começar pela incontornável Árvore da Preguiça, localizada a metros do mar, dentro do Parque Nacional. Por causa da ação intensa dos ventos, a árvore, um mangue-botão, cresceu tortuosa, como se estivesse debruçada sobre as areias. Vá cedo, pois a fila para tirar uma selfie ali logo se torna longa. 

Seguindo pelo litoral você chega à Praia do Preá, um simpático vilarejo a 14 km de Jeri, com lojas, bons restaurantes e hotéis de luxo. Se bater a fome, vale parar no Restaurante Canoas e pedir uma porção de iscas de peixe ou de camarão no alho e óleo com macaxeira frita, observando os kites coloridos voando sobre o mar. 

Buraco Azul, em Caiçara

Por falar no esporte, é na Praia do Preá que se encontra a maior escola de kitesurfe do País, o Rancho do Kite, anexo à pousada Rancho do Peixe. O local foi criado pelo casal brasiliense Alexandre Rolim, o Mosquito, e Vanessa Chastinet, em 2006. Hoje tem uma infraestrutura poderosa, com mais de 500 kites e 21 instrutores, todos da região. “Em 2019, tivemos 3.500 alunos, muitos deles estrangeiros”, conta Mosquito. O curso básico dura 12 horas e pode ser feito em três dias. 

Outra atração que virou febre é o Buraco Azul, já em Caiçara, distrito de Cruz, a 20 km de Jeri. O nome é autoexplicativo: trata-se de um piscinão natural com as águas num tom impressionante de azul-turquesa. O terreno foi escavado para retirar barro e areia, usados na construção da rodovia CE-182. Na época, chuvas fortes resultaram no acúmulo de águas que ganharam essa cor irresistível pela formação calcária do solo. A atração é relativamente nova, mas já é sucesso: o proprietário do terreno transformou o lugar numa espécie de clube, com restaurante e bar ao redor, deques de madeira, redes e lounges

Se você procura algo mais exclusivo, siga até o Alchymist Beach Club, misto de restaurante, bar e balada diurna, à beira da Lagoa do Paraíso. A estrutura é impressionante, com jardins ornamentais em meio à vegetação, redes para descansar na lagoa, terraço panorâmico, música animada e plataformas sobre as águas com camarotes reservados. 





…a Oeste

Um tour a Oeste de Jeri também não fica devendo nada em termos de aventura e beleza. Você pode ir para lá de bugue ou quadriciclo. O atual hit entre os turistas que curtem uma adrenalina, todavia, são os UTVs (Utility Task Vehicle), utilitários ágeis e robustos, com carroceria e suspensão próprias para trilhas. O carrinho desce e sobe dunas com facilidade, faz curvas radicais e desenvolve boa velocidade.













LEIA TAMBÉM: O que curtir em Foz do Iguaçu





Uma vez motorizado, siga para Tatajuba, já no município de Camocim, onde há uma praia e algumas lagoas formadas pelas chuvas entre as dunas móveis, bem altas e branquinhas, criando uma paisagem única. Para chegar até ali, há uma travessia de balsa no Rio Guriú e uma passagem pelo Mangue do Guriú. Mesmo na maré baixa, o veículo passa por uma trilha às vezes apertada pelas raízes expostas e troncos decorados pelos moradores dali com laços e balanços. 

Um dos pontos mais visitados é o Lago Grande (também chamado de Lagoa de Tatajuba). As águas da lagoa são ótimas para praticar stand up paddle, andar de caiaque ou apenas relaxar deitado em uma das várias redes na parte mais rasa. Como é um local mais distante de Jericoacoara, os visitantes costumam ficar por ali mesmo, atendidos pelas barracas ao redor da lagoa. Uma das mais famosas é a Barraca do Didi, o “Rei dos Grelhados”. Didi não deixa por menos: um garçom leva para o cliente, ainda dentro da lagoa, um “cardápio vivo”. Os frutos do mar fresquinhos são grelhados na brasa e chegam à mesa em porções generosas. 





Para comer e celebrar

Além da perfeita sinfonia de cores, ventos e calores, Jericoacoara também recebe seus visitantes com ótimas opções gastronômicas. Uma delas é a simpática varanda do Rústico e Acústico, com coloridas toalhas de crochê e clima aprazível. Da cozinha comandada pela chef Lilian Thaller saem pratos como o filé de robalo na farofa de castanha-de-caju, acompanhado de arroz de coco. 













LEIA TAMBÉM: 7 curiosidades sobre o Cristo Redentor





Numa rua paralela, fica o Romã Jericoacoara, que serve desde pizzas a pratos com frutos do mar. O chef e proprietário da casa é o potiguar Marcelo Silva, que tem larga experiência em pizzarias de São Paulo e também com o público de Jeri. Um dos pratos mais pedidos é o Camarwhisky, com camarões salteados no alho e flambados no uísque, com pera marinada no vinho branco e molho de cajá.

Outra badalada varanda da vila é a do Bistrô Caiçara, do chef Apolinário Souza, que trabalhou por 28 anos em São Paulo, em casas como The Gallery e Fasano, e há cinco anos abriu seu próprio bistrô em Jeri. O carro-chefe da casa é o Polvo Louco, com o molusco misturado com lagosta, camarões, mel de rapadura picante e legumes salteados. 

Saudades de uma carne, minha filha? A dica é o Gato na Brasa, churrascaria aberta há três anos por Hani Ahmed. Calma que o nome é só uma brincadeira! Ali são servidos mesmo cortes de carnes argentinas e uruguaias, em uma apresentação bem especial, com os espetos em pé. Além das carnes, o Gato capricha nos acompanhamentos, como arroz biro-biro, farofa de cebola e um incrível pão artesanal de ervas envolto em creme de alho.

A vida noturna da vila também proporciona diversas opções. Quer apreciar o pôr do sol de um lounge exclusivo, tomando um gim-tônica? Vá ao ClubVentos, na beira da Praia de Jericoacoara. Trata-se de um dos melhores clubes de esportes aquáticos da região, que abriu um Sunset Lounge Bar, com espreguiçadeiras, cadeiras e tendas, com ótimos drinques e boa música para dançar. 













Outra dica é o Corredor de Caipirinhas, que começa a lotar assim que o sol se põe e a galera retorna da duna. Como o nome diz, é uma rua com várias barracas de drinques e coquetéis, que vai da praia até a praça. Procure a barraca Chico Drinks e se delicie com caipirinhas inspiradas, feitas com uma colorida diversidade de frutas, como pitaia, morango, maracujá e caju. 

Prefere um bom chope? Ali pertinho fica o ZChoppe, bar e restaurante com música ao vivo, que serve a boa cerveja artesanal da Lupus Beer. Quando voltar para seu hotel, talvez ainda dê para ouvir a música e as vozes que ficam para trás, mas que o vento carrega consigo. Afinal, Jericoacoara é sua morada e ali quem faz a festa é ele – de dia ou à noite. 

Quer conhecer Jericoacoara? Reserve já suas passagens no site da Azul ou programe uma experiência completa na Azul Viagens.