Guia rápido para conhecer Recife e Olinda

Quer conhecer Recife e Olinda, mas tem só poucos dias de viagem? Fizemos esse guia rápido para você passear pelos principais pontos das duas cidades pernambucanas e ainda mergulhar um pouco na diversificada gastronomia da região

fotos Gui Gomes





Casario da Rua da Aurora 

Recife

1,6 milhão de habitantes, a A gloriosa capital pernambucana é uma cidade vibrante e antenada, com ricas ofertas culturais e gastronômicas, além de praias cheias e importantes pontos históricos. A melhor praia urbana é Boa Viagem, com 8 km de extensão, localizada em um dos melhores bairros da cidade – só não ultrapasse a barreira de arrecifes, para evitar possíveis ataques de tubarões. Melhor ficar nas águas rasas e curtir o bom serviço dos quiosques.

Recife é chamada de “Veneza Brasileira” por ser cortada por rios, pontes, ilhas e manguezais. Assim, um dos melhores jeitos de conhecer bem a cidade é navegando por suas águas. Uma dica é o city tour aquático da Catamaran Tours, no Rio Capibaribe, que percorre as três ilhas do Centro e passa por baixo de cinco pontes. No passeio, que dura cerca de uma hora, um guia vai contando histórias e curiosidades do Recife, enquanto o catamarã margeia pontos turísticos como o colorido casario da Rua da Aurora, o Paço Alfândega e a Praça do Marco Zero.













Próximo dali ficam o Parque de Esculturas de Francisco Brennand, com sua icônica Torre de Cristal, o Centro de Artesanato de Pernambuco e o Museu do Cais do Sertão, construído nos antigos armazéns do porto. De lá dá para caminhar até a Praça do Arsenal, onde ficam a Embaixada dos Bonecos Gigantes – que tem desde representações de Roberto Carlos até o Papa Francisco – e o Paço do Frevo. O prédio de três andares, em estilo neoclássico inglês, abriga um centro cultural dedicado ao frevo, com exposições, aulas de dança e de música, saraus e apresentações musicais, além de uma linda sala com piso de vidro e paredes cobertas com fotos retroiluminadas, entre os janelões com vista da cidade.





Pratos do restaurante Cá-Já

Recife é também uma das principais capitais gastronômicas do Brasil. Um dos restaurantes mais queridos é o Cá-Já, no bairro dos Aflitos, onde o chef Yuri Machado cria receitas instigantes a partir de ingredientes locais. É o caso da galinhada, que chega à mesa com um aromático arroz caldoso de frango, com coxa e sobrecoxa assadas e legumes orgânicos. Outros sucessos da casa são as lambretas mergulhadas num potente molho de vinho branco e dendê.

Pertinho dali fica a Taberna Quina do Futuro, do chef André Saburó Matsumoto, que pratica uma culinária nipônica impecável e inesquecível. Saburó capricha tanto nos clássicos, como os primorosos sushis e o tataki, quanto nos autorais, a exemplo do atum de sol, em que o peixe é preparado como a clássica carne de sol.

E para surpreender ainda mais seus visitantes, Recife abriga um empolgante bar de drinques. Trata-se do Pina Cocktails & Co, um speakeasy onde o cliente só entra com uma senha, fornecida na hora da reserva a partir do WhatsApp. A carta de drinques, elaborada pelo sócio Luciano Guimarães, muda a cada seis meses. O tema atual é inspirado em deuses e traz coquetéis como o Anúbis (whiskey, rum, mel de cevada e chá egípcio karkadeh) e o fascinante Odoiá Iemanjá, com gim, blue curaçau, água de laranjeira e azeite de cítricos. Uma ótima lembrança do mar azul que nos espera na manhã seguinte.





Igreja do Carmo

Olinda

Primeira capital de Pernambuco, Olinda tem mais a oferecer do que ladeiras lotadas de foliões no Carnaval e os icônicos bonecos gigantes. Sim, estes são grandes símbolos da cidade, que fica a 6 km do Recife, mas nem de longe resumem os encantos da região. Fundada em 1535, Olinda chamou a atenção dos portugueses pelas suas colinas, que ofereciam uma vista privilegiada da costa. Foi a capital até 1827, quando a sede política e administrativa de Pernambuco foi transferida definitivamente para Recife. Hoje, a riqueza dos tempos áureos pode ser conferida de perto no Centro Histórico de Olinda – também chamado de Cidade Alta. A área tombada, que ocupa quase um terço do município, abriga igrejas, mosteiros, edifícios históricos e um casario colorido. E como tudo fica relativamente perto, dá para conhecer boa parte do sítio histórico caminhando.

O site Olinda Experiences organiza walking tours guiados que passam por pontos turísticos da cidade, como o antigo Palácio dos Governadores, hoje sede da prefeitura; a Igreja do Carmo, erguida em um morro, com o mar ao fundo; o Mercado da Ribeira, de 1680; e a Basílica e o Mosteiro de São Bento, onde há um impressionante altar-mor de cedro folhado a ouro, que em 2001 foi exposto no Museu Guggenheim, em Nova York. Vá até o Alto da Sé, onde estão a Catedral da Sé, o Observatório e a melhor vista da região, inclusive com Recife ao fundo.

Cansou de andar? Bora reabastecer! Olinda tem uma ótima oferta de bares, botecos e restaurantes. O mais famoso é o Oficina do Sabor, inaugurado em 1992 pelo chef César Santos. A especialidade é a culinária pernambucana, com pratos irresistíveis, como o Cascão de Siri (carne de siri com leite de coco, cheiro-verde e farofa); o gratinado de macaxeira com charque; e nada menos do que 15 receitas de jerimum recheado. César também capricha nas sobremesas, como o bolo Souza Leão e a cartola.













Terraço do restaurante Casa do Vinho Al Mare

Você também pode apreciar pratos de inspiração mediterrânea olhando de pertinho o mar de Olinda. Esta é a proposta da Casa do Vinho Al Mare, restaurante da sommeliére Ana Paula Crasto, localizado numa encantadora casa branca e azul. Depois de ter morado 20 anos na Itália, onde teve um restaurante, Ana Paula voltou ao Brasil e resolveu abrir um negócio num local com ares de vilarejo. A casa conta com salão e um agradável pátio ao ar livre, com as mesas entre as plantas e as flores e um balcão voltado para o mar, de onde se pode apreciar o pôr do sol tomando um ótimo rosé, por exemplo. Entre os pratos executados pelo chef Felipe Crasto, filho de Ana Paula, prove o marcante Pane Povero (pão caseiro com manteiga e filés de anchova) e o refrescante linguini com camarões e vôngoles. Finalize com um cremoso tiramsú observando o vaivém tranquilo do mar anunciando o fim de mais um dia perfeito nas suas férias pernambucanas.

Quer conhecer Pernambuco? Reserve já suas passagens no site da Azul ou programe uma experiência completa na Azul Viagens.