Férias perfeitas na Serra Catarinense

Ela está com tudo! Região mais fria do País, a Serra Catarinense abre a temporada de inverno com novidades para todos os públicos: tem programas para curtir a dois, contemplar a natureza, se deliciar com a gastronomia regional… Confira aqui como passar as férias perfeitas na Serra Catarinense

por Giovanna Forcioni |  fotos Anna Carolina Negri





Morro do Campestre

Ela já não é mais a mesma de antes. Quem visitou a região serrana de Santa Catarina tempos atrás mal reconhece o que ela se tornou. Nos últimos dez anos, as cidades de Urubici, Bom Jardim da Serra e São Joaquim investiram pesado em infraestrutura para garantir seus postos entre os melhores destinos de inverno do País. E conseguiram. Sem exagero nenhum, hoje podemos dizer que a Serra Catarinense entrou de vez para o radar dos viajantes que gostam de subir a montanha e curtir um friozinho. E bota friozinho nisso. Com sorte, você pode encontrar até neve e termômetros abaixo de zero enquanto estiver por lá.  

Essa fama, porém, não veio à toa. A natureza também tem sua parcela de culpa nessa história. A região tem cachoeiras, estradas cênicas, cânions de tirar o fôlego, mirantes com montanhas a perder de vista… Tudo isso a apenas 180 km do Aeroporto Internacional de Florianópolis (FLN), que recebe voos diretos da Azul a partir de várias cidades do País. 

Assim como muitos outros destinos turísticos no Brasil, a Serra Catarinense também sentiu os impactos econômicos da pandemia e teve de se adaptar às novas condições impostas pelo novo coronavírus. Os esforços para cumprir os protocolos sanitários e de segurança renderam até reconhecimento internacional: todo o estado de Santa Catarina recebeu o selo Safe Travels, concedido pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, sigla em inglês). 

Depois de meses e meses de baixa no movimento de turistas, a região serrana deu a volta por cima e agora abre a temporada de inverno 2021 cheia de novidades. Enquanto esperava o momento adequado para retomar as atividades turísticas, a Serra Catarinense fez a lição de casa. Do ano passado para cá pipocaram inaugurações de mais endereços gastronômicos, parques e experiências radicais. Se ainda havia dúvidas de que a Serra Catarinense é a bola da vez do próximo inverno, agora não há mais. Mesmo quem já conhece a região tem novos motivos para voltar. 













Os clássicos

Salto de pendulo na Cascata do Avencal

Saindo de Florianópolis, existem vários jeitos de se chegar até a Serra Catarinense. O mais famoso deles é pegar a SC-390 e seguir até a cidade de Lauro Müller. É lá que começa a Serra do Rio do Rastro, um trecho de 35 km de estrada que vai até Bom Jardim da Serra, ziguezagueando as montanhas, numa sequência de mais de 200 curvas. Já vá com a câmera a postos e preparado para controlar o desejo de registrar cada trechozinho da viagem.  

A estrada é só o primeiro dos cartões-postais que você vai encontrar no caminho. Assim que chegar a Bom Jardim, faça um pit stop na Churrascaria Cascata para esticar as pernas, provar delícias regionais, como o entreveiro catarinense, e repor as energias. Acredite: você vai precisar desse descanso. A cidade reúne alguns dos cânions mais bonitos da região e, para chegar até eles, uma boa dose de disposição cai bem. 

O mais acessível é o Cânion da Ronda, que está só a 15 minutos da churrascaria. Você consegue estacionar o carro pertinho do mirante e ver do alto uma sequência de montanhas a perder de vista. É lindo, mas é só um gostinho do que vem pela frente, onde a experiência vai a outro patamar. Trata-se do famoso Cânion das Laranjeiras – que tem acesso tanto pela Fazenda Rincão da Palha (com possibilidade de ir com um veículo 4×4), do lado Norte, como pela Fazenda Santa Cândida, do lado Sul, uma caminhada de mais ou menos uma hora entre pastos e descampados. Todo o esforço é recompensado quando você se senta na borda do paredão, respira fundo e contempla, sem pressa, o vaivém da neblina.

Se ainda sobrar fôlego, você pode (e deve) acrescentar um terceiro cânion à sua lista. Apesar de o nome prometer algo parecido, o que você encontra ao se deparar com o Cânion do Funil é diferente de qualquer outra paisagem da região. Em meio aos paredões, surgem formações pontiagudas que dão um toque especial ao visual – confira na foto no topo desse post. Para chegar lá, precisará caminhar 7 km, ou então combinar com o Seu Miguel, dono da propriedade, e fazer o trecho de 4×4. 





LEIA TAMBÉM: 9 passeios para curtir o inverno no Sul





As novidades

A melhor cidade onde se hospedar na Serra Catarinense é, sem dúvidas, Urubici. Ela é charmosa, pequenininha na medida e reúne várias boas opções de hospedagem e restaurantes – além de estar só a cerca de 65 km de Bom Jardim e de São Joaquim. Nos entornos da avenida principal, você pode provar as receitas à base de pinhão do Manali Bistrô, experimentar a boa carta de vinhos e drinques do Montês Restaurante ou se deliciar com a sequência de fondues do Château du Valle.  













Em agosto do ano passado, a lista de endereços gastronômicos da cidade ganhou mais um reforço. O Paradouro do Morro do Campestre veio para reafirmar a fama que Urubici tem de servir bem, sempre com uma bela paisagem de pano de fundo. Como o próprio nome já entrega, o restaurante fica aos pés do Morro do Campestre, um dos melhores pontos da cidade para se assistir ao pôr do sol. Com o perdão do trocadilho agora a vista do vale do Rio Canoas ganhou um gostinho especial com os pães italianos, os cremes de queijo, a bruschetta de linguiça blumenau com chutney de manga… Outra opção para curtir o fim de tarde em alto estilo é o recém-inaugurado Morro do Parapente. O espaço ganhou uma estrutura para receber grupos que queiram fazer um piquenique, enquanto petiscam, degustam um vinho e apreciam Urubici do alto. Mas a grande atração são os dois balanços que parecem “voar” sobre a cidade e servem como cenário perfeito para fotos do Instagram. 





LEIA TAMBÉM: Os encantos da Serra Gaúcha





Canion do Funil

Por incrível que pareça, até as cachoeiras da cidade estão de cara nova. A Papuã agora está aberta ao público em um esquema 100% acessível. No complexo foram construídas passarelas de mais de 300 metros, que levam até uma plataforma de vidro na beira do paredão, a 120 metros de altura, de onde dá para avistar duas impressionantes quedas-d’água. 

Pertinho dali, a menos de 3 km, fica a Cascata do Avencal, figurinha carimbada nos roteiros da região. Antes, existiam duas maneiras de conhecê-la. Por baixo, seguindo uma trilha de pedras que leva até os pés da cachoeira, ou por cima, caminhando sobre uma passarela de vidro que avança em sentido à queda-d’água. Agora, com agendamento prévio, os turistas também têm a oportunidade de curtir o visual sob outra perspectiva. No Salto de Pêndulo, a graça é ir até a beira do paredão e contemplar a cascata num pulo de 100 metros em queda livre. Definitivamente, as definições de friozinho na barriga foram atualizadas. 





Tim-tim

Uma vez na Serra Catarinense, não deixe de experimentar os vinhos locais. A grande maioria dos restaurantes e hotéis sempre tem à mão bons rótulos para servir. Mas, se quiser provar direto da fonte, o segredo é estender um pouquinho a viagem e fazer um bate e volta até São Joaquim, a 60 km de Urubici. A cidade, que ganhou fama nos telejornais por causa das temperaturas abaixo de zero, hoje reúne boa parte das vinícolas da Rota dos Vinhos de Altitude. Agendando com antecedência, dá para visitar as propriedades, conhecer os bastidores da produção e ainda participar de rodadas de degustação. Na Villa Francioni, uma das maiores e mais famosas da região, por exemplo, o tour guiado acontece de segunda a segunda. 

Quer conhecer a Serra Catarinense? Reserve já suas passagens no site da Azul ou programe uma experiência completa na Azul Viagens.