As 10 montanhas mais bonitas do mundo

Altas e majestosas, algumas montanhas impressionam pela grandiosidade de suas formações rochosas e por sua beleza, transformando-se em símbolos de seus países. Selecionamos algumas das 10 montanhas mais bonitas e icônicas do mundo





por Bruno Segadilha  |  fotos Shutterstock





MONTE RORAIMA

Brasil/Venezuela/Guiana

Na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, um imenso platô abriga o Monte Roraima, um dos pontos mais altos do País, a 2.734 metros de altura. O lugar, que já foi até cenário de novela, impressiona seus visitantes com suas imensas formações rochosas e seus paredões, além de curiosas espécies vegetais, como plantas carnívoras. A porção brasileira é a menor entre os três países, representando apenas 5% do total. A área da Guiana equivale a 10% do lugar e a da Venezuela, 85%. Por isso o acesso é pelo território venezuelano, na pequena cidade de Santa Elena de Uairén, a 230 quilômetros de Boa Vista. A região é conhecida como Gran Sabana (ou grande selva, em português) e é uma das mais antigas do planeta, sendo famosa por abrigar um grande conjunto de tepuys – montanhas imensas, com fauna e flora quase intocadas, como o Monte Roraima – e muitas cachoeiras.





KIRKJUFELL

Islândia

Em islandês, Kirkjufell significa montanha da igreja. Nada mais adequado para definir este grande monte cujo formato lembra a torre de um templo católico. Localizada na costa Norte da península de Snæfellsnes, a Kirkjufell tem 463 metros de altura e serviu de locação para a série Game of Thrones, tornando-se o lugar mais fotografado do país. Embora seja possível fazer rotas para escalar a montanha, a maioria dos visitantes prefere ficar aos pés, aproveitando a bela vista à beira-mar e a cachoeira Kirkjufellsfoss, uma combinação natural rara e inesquecível. Muitos esperam o entardecer para apreciar o pôr do sol. Entre setembro e março, durante o outono e o inverno no Hemisfério Norte, o espetáculo natural pode ser ainda mais emocionante. Nessa época, as chances de observar a aurora boreal durante a noite são maiores.





GRAND TETON

Estados Unidos

Poucos lugares no mundo têm a paisagem tão diversificada quanto a do Parque Nacional de Grand Teton, no estado norte-americano de Wyoming. O espaço abriga lagos alpinos, florestas e as famosas montanhas Grand Teton, de picos irregulares e pontiagudos. Seu topo piramidal tem 4.199 metros de altura e é o ponto culminante do parque e da cordilheira Teton. A escalada até lá é complexa e exige bastante preparo para enfrentar subidas íngremes e chuvas constantes, principalmente no verão. Para quem quer apenas observar de longe a imponência dos montes, a dica são atividades como trilhas, pesca e canoagem, contemplando a rica biodiversidade do lugar.





MONTE FUJI

Japão

Montanha mais alta do arquipélago japonês, o Monte Fuji é um vulcão ainda ativo, mas com baixo risco de erupção. Seu topo fica a 3.776 metros de altura, onde a temperatura pode chegar a 18 graus celsius negativos, o que explica a neve constante do lugar. Um dos principais símbolos do Japão, o monte fica no Parque Nacional Fuji-Hakone-Izu e é rodeado por cinco famosos lagos: Kawaguchi, o de mais fácil acesso, Yamanaka, Sai, Shoji e Motosu, retratado nas notas de cinco mil ienes. Na base do Monte Fuji fica também a Aokigahara, conhecida como Mar de Árvores, uma floresta repleta de cavernas congeladas que não degelam nem no verão. É dali que partem as várias trilhas que levam ao cume, a exemplo do caminho de Yoshida, com seus templos históricos, cabanas e casas de chá.





LEIA TAMBÉM: 9 destinos para curtir a natureza





MONT BLANC

França/Itália

Localizado nos alpes, na fronteira entre a França e a Itália, é a montanha mais alta da Europa Ocidental, com 4.808 metros de altitude. A coordenada geográfica, aliás, tem sido motivo de um imbróglio diplomático entre os dois países, já que não se sabe em que ponto, exatamente, passa a linha imaginária que os separa. A disputa ganhou ainda mais combustível quando o presidente francês Emmanuel Macron viajou para Chamonix, a principal cidade do lado francês, para anunciar a criação de uma zona de proteção ambiental que estaria “engolindo” uma parte italiana. Dali um teleférico faz o percurso do centro da cidade, a 1.030 metros, até o cume da montanha Aiguille du Midi, a 3.842 metros. Quem quiser conhecer o pico do Mont Blanc deve subir em escaladas de nível mais avançado, passando por trechos como o belo Mar de Gelo, uma imensa geleira repleta de fendas.





MONTE KILIMANJARO

Tanzânia

Ponto mais alto da África, o monte é formado por um antigo vulcão que fica ao Norte da Tanzânia, na fronteira com o Quênia. Seu topo fica a 5.895 metros e, por isso, é coberto de neve durante o ano inteiro. Apesar da altura e da grandiosidade, o Kilimanjaro é bastante acessível. Sua escalada é relativamente fácil, graças às boas condições de suas trilhas e à infraestrutura dos acampamentos de suporte ao longo do trajeto. Não à toa, milhares de turistas visitam o Parque Nacional do Kilimanjaro em busca de aventura em meio à natureza. Localizado no centro de uma planície de savana, em uma área de riquíssima biodiversidade, o lugar foi eleito, em 1987, um dos patrimônios naturais da humanidade pela Unesco.





MATTERHORN

Suíça/Itália

O Matterhorn ou Monte Cervino talvez seja a montanha mais famosa dos alpes, graças aos seus 4.478 metros de altura e sua cobertura nevada. Tão conhecida, que inspirou Walt Disney a construir uma réplica em sua Disneyland em Anaheim, na Califórnia, em 1959. Localizada na fronteira da Suíça com a Itália, foi a última grande montanha dos alpes a ser escalada, em julho de 1865. Hoje, possui uma boa infraestrutura para quem quer subir até o seu topo, com trilhas de fácil acesso. A rota mais conhecida começa na pequena cidade de Zermatt, ao pé do morro, por teleférico. O transporte leva os visitantes até Hörnli-hütte, base que fica a 3.260 metros. Depois de passar a noite ali, os montanhistas continuam a subida até o cume ainda de madrugada, já que a descida deve ser feita antes do almoço para evitar as tempestades da tarde.





ELBRUS

Rússia

Com 5.642 metros de altitude, a montanha fica na cordilheira do Cáucaso, no Sul da Rússia. O vulcão inativo conta com um sistema de três teleféricos, construídos no lado Sul da montanha, que levam seus visitantes a 3.658 metros de altura. Quem quiser se aventurar até o seu topo precisa seguir por uma das trilhas e enfrentar a neve e o frio da região. Por isso as subidas no inverno são mais raras e o período mais indicado para conhecer o lugar é durante o verão, entre junho e setembro. Elbrus tem dois picos, ambos cúpulas vulcânicas adormecidas. O cume do lado ocidental fica a 5.642 metros, enquanto o da porção oriental tem 5.621 metros. Desde 2005, alpinistas profissionais disputam a Elbrus Race, corrida que começa no pé da montanha e termina no cume mais alto. Até hoje, o recorde é do polonês Andrzej Bargiel, que completou a subida em inacreditáveis 3 horas e 23 minutos.





MONTE OLIMPO

Grécia

Segundo a mitologia grega, a enorme montanha era o lugar onde o deus artesão Hefesto havia construído um palácio para abrigar as principais divindades da Grécia. Dali, por trás das nuvens, elas controlavam a vida de todos os seres humanos que habitavam o planeta. Mitos e lendas à parte, o Monte Olimpo é bastante real e fica ao Norte da Grécia, entre as regiões da Tessália e da Macedônia, próximo ao Mar Egeu. Seu topo, o pico de Mitikas, fica a 2.917 metros de altura e o acesso até lá é por Litochoro. O lugar acabou ganhando o apelido de cidade dos deuses por estar na base do monte que abriga todas as divindades gregas.





MONTE FITZ ROY

Argentina/Chile

Lindo e assustador. Essa é a definição dada por alpinistas a um dos principais símbolos da Patagônia, o extremo Sul da América do Sul. Apesar da altitude relativamente modesta de seu cume, a 3.375 metros de altura, o Monte Fitz Roy é considerado por muitos alpinistas profissionais o maior desafio do esporte. Isso porque suas paredes verticais requerem técnica impecável para serem escaladas e o clima da região é pouco amigável, com fortes tempestades de neve. A boa notícia é que qualquer visitante pode percorrer as trilhas que levam à base do enorme maciço de granito, a 1.200 metros de altitude. O caminho é repleto de bosques, vales e riachos e leva à famosa Laguna de Los Tres, que fica no pé da montanha. A grande lagoa de águas cristalinas é formada pelo degelo do topo do monte, um dos espetáculos naturais mais belos do planeta.





LEIA TAMBÉM: Os 7 túneis mais incríveis do mundo