10 estádios mais bonitos do mundo

Conheça os 10 estádios mais bonitos e icônicos do mundo, palcos de importantes eventos esportivos, shows e espetáculos, que impressionam por sua grandiosidade e sua arquitetura arrojada

por Bruno Segadilha | fotos Shutterstock





Arena das Dunas

Natal // Brasil

Tem 50 metros de altura e capacidade para 30 mil pessoas. Seu formato lembra as dunas da capital potiguar, com a fachada e a cobertura integradas por 20 módulos revestidos com telhas de alumínio, que facilitam os isolamentos térmico e acústico. A parte superior foi desenhada para captar água da chuva, usada nos banheiros e para regar o campo. Outra preocupação do escritório de arquitetura Populous, responsável pelo estádio, era garantir uma boa visão para os torcedores e uma boa transmissão dos jogos. Por isso a primeira fileira das arquibancadas fica a apenas 15 m de distância do campo e o sistema de iluminação, que utiliza 306 holofotes, proporciona uma visibilidade uniforme, que elimina sombras e facilita a exibição dos jogos em alta definição. 





Borisov Arena

Barysaw // Bileorrússia

O visual futurista impressiona. Há quem enxergue Borisov Arena como uma nave espacial. Outros o identificam como uma brilhante colmeia de metal. Sede do time de futebol FC Bate Borisov, o estádio foi inaugurado em 2014, depois de anos de estudo da região, um planalto coberto por muita vegetação e forte circulação de vento. A ideia era causar o menor impacto ambiental possível e derrubar o menor número de árvores dali. Para aproveitar a boa condição climática do lugar os arquitetos da OFIS Architets desenharam um espaço coberto por uma grande estrutura de alumínio vazada, o que facilita a circulação de ar. Além de abrigar jogos e eventos esportivos, o local também funciona como shopping, com restaurantes, lojas e até uma pista de boliche. 





Maracanã

Rio de Janeiro // Brasil

Em 1938, Jules Rimet, presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), visitou o Rio e aceitou a candidatura brasileira para sediar o mundial de 1950. O País, porém, não possuía um grande estádio e era preciso construir um que impressionasse. As obras começaram em 1948. A estrutura oval contava com a incrível capacidade para receber cerca de 200 mil pessoas. O estádio tinha 32 m de altura e os seus eixos eram de 317 e 279 m. De lá para cá, passou por algumas reformas, sendo a mais importante delas a feita para a Copa do Mundo de 2014. O lugar ganhou novas rampas e uma cobertura para proteger o público do sol e da chuva. Os assentos também ficaram mais próximos à lateral do gramado e todos os lugares têm 100% de visibilidade do campo. 





LEIA TAMBÉM: O que curtir na pequena notável Aracaju





Al Janoub Stadium

Al-Wakrah // Qatar

Sede do time de futebol Al Wakrah Sport Club, é a obra mais recente inaugurada para o campeonato mundial de 2022, no Qatar. O estádio foi projetado para abrigar 40 mil pessoas, mas será parcialmente desmontado depois do evento, diminuindo sua capacidade para a metade. Isso porque os dirigentes do time querem reduzir os custos de manutenção do prédio quando o mundial acabar. Por causa do forte calor do Oriente Médio, a construção conta com um teto removível, feito de tecido e cabos de metal, além de um potente sistema de refrigeração. O desenho da cobertura lembra as formas do casco de um navio invertido, que, no fim do dia, reflete o pôr do sol, formando um espetáculo de luzes inesquecível. 





Altice Arena

Lisboa // Portugal

Minimizar o impacto visual na cidade e contribuir para o uso racional de energia. Esses eram os dois principais objetivos do arquiteto português Regino Cruz ao projetar o estádio, localizado no Parque das Nações, em Lisboa. Por isso o Altice Arena foi construído com chapas lisas de zinco que se movimentam como persianas. O material dá um ar mais sóbrio ao prédio e permite a entrada de luz natural, que ajuda nos sistemas de iluminação e de aquecimento durante o inverno. Para facilitar a entrada e a saída do público, a arena principal, onde ocorrem as competições e eventos, foi construída mais de seis metros abaixo do solo, o que permite que quase todas as arquibancadas fiquem no nível da rua. 





Beijing National Stadium

Beijin // China

Conhecido como Ninho de Pássaro, foi sede das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Os arquitetos suíços Jacques Herzog e Pierre de Meuron e o chinês Li Xinggang criaram uma estrutura leve e à prova de terremotos, formando vários pentagramas. A estrutura foi coberta com um material à prova de chuva e translúcida, permitindo a entrada de luz solar. Este telhado, aliás, gerou apreensão entre os engenheiros da construção. Eles não tinham certeza se a enorme teia de mais de 11 mil toneladas aguentaria o próprio peso. O aço foi sustentado por colunas temporárias, até a inauguração do estádio, quando os macacos hidráulicos foram retirados e os profissionais puderam constatar que a ideia havia dado certo. 





LEIA TAMBÉM: 6 castelos para você visitar





Camp Nou

Barcelona // Espanha

Inaugurado em setembro de 1957, o estádio, sede do time Barcelona, já passou por várias reformas importantes. A primeira foi em 1981, quando foi ampliado para a Copa de 1982 e aumentou sua capacidade para 150 mil pessoas. A segunda ocorreu em 1988, quando os dirigentes do clube tiveram que tirar as áreas onde os torcedores ficavam de pé, por exigência da União das Federações Europeias de Futebol. Isso reduziu a quantidade de espectadores que o lugar comportava para cerca de 99 mil. Ainda assim, o Camp Nou continua sendo o quinto maior estádio de clubes do mundo e o maior da Europa. 





Nizhny Novgorod

Nizhny Novgorod // Rússia

A construção, inaugurada para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, tem formato circular e é totalmente coberta por placas translúcidas para garantir iluminação natural. Seu design tem estrutura leve, fachada ondulada e semitransparente. Os visitantes são recebidos em uma galeria que circunda o estádio, onde estão os portões e as escadas. As cores azul e branca são uma referência à água e ao vento, já que o Nizhny Novgorod foi erguido às margens do rio Volga. O local, é estratégico. Fica ao lado de muitos edifícios históricos, incluindo a Catedral Alexander Nevsky, visível desde a parte alta da cidade. Essa foi a maneira que o governo russo encontrou de revitalizar uma área subutilizada da cidade de Nizhny, antes usada apenas para uma famosa feira de rua. 





Yankees Stadium

Nova York // Estados Unidos

Casa do New York Yankees, um dos principais times de baseball dos Estados Unidos, o estádio foi inaugurado em 2009, na região do Bronx, em Manhattan, para substituir a antiga sede, de 1923. Os gastos elevados com as obras – que chegaram a US$ 2,3 bilhões –  e a polêmica destruição de parques para dar espaço à arena atrasaram a sua construção, que levou três longos anos para ser concluída. A parte exterior foi revestida com concreto, granito e 11 mil peças de calcário indiano, o que dá um ar suntuoso ao enorme prédio. Os telhados das arquibancadas têm réplicas dos frisos originais, garantindo um charme vintage ao lugar. Do lado de dentro, cerca de 1.300 fotos ficam expostas de maneira permanente para contar a história dos Yankees.  





LEIA TAMBÉM: Os encantos da Serra Gaúcha





Wembley

Londres // Inglaterra

Um dos lugares mais emblemáticos do futebol europeu, sediou 5 finais da Champions League e a final da Copa do Mundo de 1966, quando a Inglaterra venceu da Alemanha e levou o título. Além do futebol, o Wembley já abrigou os Jogos Olímpicos de 1948 e foi palco de shows de grandes artistas. Em 2002, foi demolido e reconstruído. Atualmente é a maior arena coberta do mundo, com capacidade para 90 mil pessoas. A nova construção com uma cobertura retrátil que se apoia em um arco de 133 m de altura e pode ser vista a vários metros de distância, fazendo do estádio um dos ícones da cidade. Essa geometria, aliás, não é fruto do acaso:  a arquibancada íngreme garante que todos tenham uma boa visão do campo e dos jogos.