Conheça as ações do 11º Outubro Rosa na Azul

Pelo 11º ano consecutivo, a Azul apoia a campanha do Outubro Rosa e assume a missão de levar informação sobre o câncer de mama para milhões de Clientes. Conheça a ações da companhia e leia uma entrevista com o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia e a parceria da Azul com o Hospital de Amor





por Giovanna Forcioni | fotos Divulgação





Já é tradição: há 11 anos, a Azul abraça a campanha de prevenção ao câncer de mama como sua principal causa social. Durante o Outubro Rosa, os Tripulantes se mobilizam para ajudar a espalhar a mensagem sobre prevenção e detecção precoce da doença. Por meio de campanhas internas e externas, o objetivo é oferecer informações importantes que ajudem na conscientização sobre o tema.





Uma das aeronaves da Frota Azul

A companhia tem, inclusive, uma frota especial de apoio à campanha com quatro aeronaves pintados em cor-de-rosa, em uma homenagem às Vitoriosas, as mulheres que venceram a doença. Neste ano, a frota rosa ganha um novo reforço: mais um Cessna Caravan receberá a pintura especial, como parte das campanhas de prevenção e combate ao câncer de mama. Durante todo o ano, os Clientes que viajarem em uma dessas aeronaves terão a oportunidade de ouvir a bordo um speech com depoimentos de mulheres que passaram por essa experiência – e ao longo do mês de outubro, outras aeronaves que decolam de cidades com maior volume de voos também terão speech das Vitoriosas a bordo.

Ao todo, na última década, mais de 19 milhões de Clientes já foram impactados com as ações de bordo do Outubro Rosa. Desta vez, mais de 5 mil Tripulantes terão artigos cor-de-rosa em seus uniformes, levando, assim, a mensagem da campanha para as mais de 100 bases nacionais e internacionais em que a Azul atua. Aeroportos de seis cidades do País ainda receberão ações de publicidade para divulgar a campanha. A Azul Viagens, agência de viagens da Azul, também está engajada na missão. Em parceria com o Hospital de Amor (SP), promoverá a ação Próximo Destino: a Vitória: as mulheres que já estão na fase final do tratamento do câncer de mama escrevem cartas motivacionais para aquelas que acabaram de receber o diagnóstico. As autoras das três melhores redações serão premiadas, em 26 de outubro, com uma viagem a Florianópolis, Rio de Janeiro e Natal, com direito a acompanhante.





LEIA TAMBÉM: Outubro Rosa: tumores com menos de 1 cm têm 95% de chance de cura





O Outubro Rosa da Azul também abre os braços para os colaboradores da companhia. Os Tripulantes e suas famílias poderão participar de lives com especialistas no assunto, realizar mamografias e consultas via telemedicina gratuitamente. Alguns Tripulantes ainda terão a chance de fazer visitas monitoradas à Unidade de Barretos do Hospital do Amor e conhecer mais detalhes sobre o projeto Conexão Azul Rosa, que transporta gratuitamente mulheres em tratamento para o câncer de mama pelo Brasil.

Todo Cliente também pode somar-se à campanha e apoiar a causa. Desde o ano passado, os pontos do Programa Tudo Azul podem ser revertidos em prol da iniciativa com o Hospital de Amor, para que mais mulheres com câncer de mama possam voar para os centros médicos (leia mais na pág. 74). Até agora, mais de 10 milhões de pontos TudoAzul já foram doados e mais de 100 mulheres beneficiadas.





MELHOR PREVENIR

O mês de outubro é o momento em que todos os olhares se voltam para a conscientização da prevenção ao câncer de mama. E essa mobilização tem razão de ser. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer, a doença é uma das primeiras causas de morte entre as mulheres no País. No mundo, só em 2020, foram diagnosticados pelo menos 2,3 milhões de novos casos.





Apesar dos números preocupantes, há muito que pode ser feito para reverter esse cenário. A seguir, o mastologista Vilmar Marques de Oliveira (foto), presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e professor adjunto da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, fala sobre a importância do diagnóstico precoce e como podemos evitar a doença:

O câncer de mama é a primeira causa de morte por câncer em mulheres no Brasil. Como nós podemos prevenir a doença?

A prevenção primária do câncer de mama está muito ligada a uma vida mais saudável. Ou seja, para evitar que a doença se desenvolva é importante ter uma dieta adequada, fazer exercícios físicos, manter o peso dentro da faixa de IMC normal e evitar maus hábitos, como tabagismo e etilismo. Fazendo essa lição de casa, temos uma redução da incidência do câncer de mama que pode girar em torno de 40%.

E os casos hereditários? É possível evitar?

O câncer de mama pode ser esporádico ou ter um caráter hereditário, quando gerações seguidas desenvolvem a doença. Mas, de todos os casos de câncer mamário, só 10% são hereditários. Quando você herda um gene já com uma mutação, basta apenas uma segunda mutação em vida para o câncer aparecer. Nesses casos, o ideal é que as pacientes façam uma pesquisa genética para entender qual é o real risco e comecem a fazer um rastreamento anual com mamografia e ressonância magnética a partir dos 25 anos de idade. Cirurgias redutoras de risco, como a mastectomia bilateral com reconstrução imediata, também podem ajudar a diminuir a possibilidade de desenvolver a doença em até 90%.

Desde o ano passado, a Sociedade Brasileira de Mastologia desenvolve a campanha Quanto Antes Melhor, que fala sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. Por que ele é tão fundamental?

Com o diagnóstico precoce do câncer de mama, temos a possibilidade de oferecer para a paciente a cura da doença em cifras superiores a 95%. Isso dá a possibilidade de um tratamento cirúrgico mais conservador e um tratamento complementar, como quimioterapia, muito menos agressivo.

Que exames ajudam no diagnóstico precoce da doença? Quem precisa fazê-los?

O diagnóstico precoce nada mais é do que identificar o câncer de mama numa fase tão inicial que podemos entregar a cura para a paciente. Isso pode ser feito por meio da mamografia, que deve ser realizada anualmente, a partir dos 40 anos de idade. O autoexame na fase pós menstrual também é importante. Eu sempre digo: não deixe de conhecer as suas mamas. Ninguém melhor do que você para perceber alguma alteração. Se notar nódulos ou secreções, procure um especialista.

O câncer de mama é a primeira causa de morte por câncer em mulheres no Brasil. Como nós podemos prevenir a doença?

A prevenção primária do câncer de mama está muito ligada a uma vida mais saudável. Ou seja, para evitar que a doença se desenvolva é importante ter uma dieta adequada, fazer exercícios físicos, manter o peso dentro da faixa de IMC normal e evitar maus hábitos, como tabagismo e etilismo. Fazendo essa lição de casa, temos uma redução da incidência do câncer de mama que pode girar em torno de 40%.





VOANDO JUNTOS

Em parceria com o Hospital de Amor, desde 2017 a Azul transporta gratuitamente mulheres em tratamento do câncer de mama pelo Brasil

Há 60 anos, quem precisasse de atendimento oncológico no interior de São Paulo necessitava viajar centenas de quilômetros até os centros médicos da capital. Isso começou a mudar quando, em 1962, um pequeno hospital na cidade de Barretos passou a se especializar no atendimento a pacientes com câncer. Na época, apenas quatro médicos atendiam por lá. Um deles, Paulo Prata, assumiu à frente do projeto e deu o primeiro passo para aquilo que viria ser um dos maiores centros de atendimento oncológico da América Latina. Hoje, o Hospital de Amor (antigo Hospital do Câncer de Barretos) tem unidades móveis e fixas de tratamento, prevenção e reabilitação em 13 estados do País e realiza mais de 910 mil atendimentos por ano – tudo oferecido gratuitamente.





Hospital de Amor Amazônia, em Porto Velho

Manter toda essa estrutura só é possível graças a doações e parcerias com o governo e empresas privadas, como a Azul. São projetos como o Conexão Azul Rosa que permitem que pacientes de todo o Brasil continuem tendo acesso a tratamentos de saúde de ponta. Desde 2017, a companhia e o Hospital de Amor trabalham juntos para transportar mulheres em tratamento de câncer de mama, permitindo que elas se desloquem entre a cidade onde vivem e os centros de atendimento espalhados no País. “O que a Azul e o hospital fazem é a mesma coisa: cuidar de pessoas. E, na nossa visão, é a empresa aérea que melhor representa isso. A filosofia da Azul de pensar em todos os detalhes da experiência do Cliente é muito parecida com a nossa filosofia de pensar em toda a jornada do paciente quando está dentro de uma das nossas unidades”, explica Henrique Moraes Prata, diretor de Desenvolvimento Institucional do Hospital.





O serviço social do Hospital de Amor seleciona as mulheres que serão contempladas e monitora, com a ajuda dos Tripulantes, todo o processo de transporte, do embarque ao desembarque. Tanto as pacientes quanto seus acompanhantes têm direito ao benefício, que pode ser usado em qualquer etapa do tratamento. Até hoje, mais de 100 já foram beneficiadas. “Elas saem do nosso cuidado e são acolhidas pela Azul. Não é só uma oferta de passagem de avião, é mais do que isso. É uma proteção continuada, em terra e no ar. Oferecemos a possibilidade de a paciente ser cuidada em todas as etapas do transporte”, explica.





Atualmente, todo Cliente Azul também pode colaborar com o projeto. Os pontos do Programa TudoAzul podem ser revertidos em prol da iniciativa para que mais mulheres com câncer de mama possam voar para os centros médicos. “Temos relatos de que essa iniciativa gera mais aderência ao tratamento. E, quando falamos em câncer de mama, isso faz toda a diferença”, finaliza. Para doar, acesse o QR Code ao lado.